Síndrome do Bebê Sacudido

O que é a Síndrome do Bebê Sacudido

Muitas mães podem ser consideradas super protetoras da forma como reagem quando outra pessoa pega seu bebê no braço para estripulias, como levantar, balançar ou realizar algum movimento brusco do tipo, e elas estão corretas nessa prevenção. 

Além do fator de proteger a criança de possível queda, instintivamente sabem que não somente existe esse risco, ou já devem ter ouvido falar da Síndrome do Bebê Sacudido

o que é a Síndrome do bebê sacudido
Síndrome do bebê sacudido

Vamos conhecer um pouco dessa lesão cerebral grave, que pode ser gerada por sacudidas ao corpo do bebê em desenvolvimento, mais comum frequência em crianças até os dois anos de idade, que pode resultar em danos cerebrais permanentes e até a morte.

Os motivos para a Síndrome do Bebê Sacudido está ligado a violência covarde de adultos contra a criança, da mesma forma que pode ser ocasionada por despreparo dos pais, como sacudir na tentativa de fazer com que desengasgue de algo preso a garganta, para soltar o choro preso, ou reanimá-lo após crise de tosse. Fique atenta, mamãe!

Como pode ocorrer a síndrome do bebê sacudido?

O bebê até a média dos dois anos tem dificuldade motora para equilíbrio da própria cabeça, o pescoço sem capacidade plena de sustentação do peso, e com massa encefálica ainda frágil dentro do crânio, provocando choques internos se sacolejado bruscamente, como o movimento de levar a cabeça para frente e para trás. 

Podem ocorrer diversas lesões em tecidos e vasos, edemas, hematomas e sangramento com alguns rompimentos no cérebro do bebê que sofrer este tipo de agressão. O quadro de saúde da criança pode sofrer alterações, com algumas manifestações clínicas como:.

  • Irritabilidade excessiva;
  • Tontura e dificuldade para ficar em pé;
  • Dificuldade para respirar;
  • Falta de apetite;
  • Tremores;
  • Vômitos;
  • Pele pálida ou azulada;
  • Dor de cabeça;
  • Dificuldades para enxergar;
  • Convulsões;
  • Falta de coordenação motora;
  • Coma.
  • Morte

Os sintomas normalmente ocorrem após algumas horas ou dias, de imediato o que se pode constatar serão machucados na face da criança ou outros hematomas. Fica o alerta para vômito, irritabilidade, choro constante e sonolência,pois ao apresentar esse fatores sinal que o bebê não está bem e deve ser levado ao médico.

O que fazer sobre a Síndrome de Bebê Sacudido?

Ao identificar os sintomas que podem relacionar o mal estar que passa a criança a síndrome de bebê sacudido é o encaminhamento médico, pois exames preliminares como de sangue, raio-x e tomografia verificarão se há alterações no cérebro.

O tratamento dependerá do nível da lesão causada pela movimentação brusca, quais sequelas resultaram, para definir uso de medicação, psicoterapia e talvez até cirurgia neurológica para reparo aos danos.

Um dos principais fatores está exatamente nas hemorragias, que tem grande possibilidade de danos à visão, como problemas na retina identificado pela mancha branca no centro, que podem ser tratadas e resolvidas em dias, ou semanas e até por vários meses. 

Complicações da Síndrome do Bebê Sacudido.

Não é incomum os casos da Síndrome do Bebê Sacudido que evoluem para óbito, ou danos irreversíveis, com algumas complicações físicas permanentes.

  • Cegueira parcial ou total;
  • Atraso no desenvolvimento;
  • Problemas de aprendizado;
  • Problemas de comportamento;
  • Deficiência intelectual;
  • Convulsões;
  • Paralisia cerebral.

Com tempo de tratamento indeterminado, acompanhamento médico e uso de medicação, além de psicoterapia, muitos exames laboratoriais atualmente já existem para auxiliar, como ressonância, tomografia e radiografia, mas o melhor remédio neste caso é a prevenção e cuidados com o bebê. 

O que resultou na Síndrome do Bebê Sacudido?

Um acontecimento em que seja necessário pegar um bebê pequeno, frágil, indefeso, e sacolejar de modo violento (seja qual for a intenção) certamente não passa despercebido, principalmente ao gerar lesões que podem levá-lo a morte ou diversos problemas de saúde.

Caso não tenha consciência do que causou o problema, analise as pessoas próximas que tiveram contato e que a criança se mostra assustada na presença, ou de alguma forma muda o comportamento.

Infelizmente, a maioria dos casos da Síndrome do Bebê sacudido está relacionados aos pais, famílias instáveis submetidas a muito estresse, com histórico de alcoolismo ou outros vícios, que não aceitam bem a presença do bebê, ocasionando situações que levam ao problema sacudindo a criança na tentativa de os fazer parar de chorar. 

É necessário educar a população, principalmente a de alto risco, sobre do que se trata a Síndrome do Bebê Sacudido, quais os riscos e sequelas que serão causadas ao bebê. Para que entendam também que caminhar no colo, andar de carrinho mesmo em terreno trepidante, e outras ações de leve sacolejo não provocam a Síndrome.       

No Brasil, para todas as evidências de violência ou suspeita, os dois órgãos que devem ser notificados são: O Conselho Tutelar e o SINAN (Sistema de Informação de Agravos e Notificação).

Gostou de saber um pouco sobre o que é a Sindrome do Bebê Sacudido? Leia outras matérias diversificadas sobre maternidade em nosso blog.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.