O que é hormonioterapia e como funciona?

Os tratamentos de câncer mais famosos são a quimioterapia e a radioterapia.

Eles são amplamente usados ​​em uma variedade de cânceres e, apesar de seus efeitos colaterais, ainda são os dois tratamentos mais eficazes.

No entanto, existem outros tipos de tratamento que também são úteis.

hormonioterapia mb
hormonioterapia mb

Em casos especiais, eles podem ser usados ​​como um suplemento para cirurgia, quimioterapia ou radioterapia.

Um desses tratamentos é a terapia hormonal.

Com base na administração ou controle da produção hormonal, a terapia hormonal pode inibir o crescimento de tumores específicos e a morte de células cancerosas.

O que é hormonioterapia?

A terapia hormonal é um tratamento usado para combater os cânceres relacionados aos hormônios, em que os hormônios o ajudam a crescer e se espalhar.

O tratamento foi desenvolvido para interferir na produção de hormônios e impedi-los de alimentar as células cancerosas.

Esta forma de tratamento foi inicialmente usada para combater o câncer de mama, mas sua eficácia também o torna útil para outros tipos de câncer, como câncer de próstata, câncer de ovário, câncer de tireóide, endometrial (revestimento interno), etc.

Como funciona a hormonioterapia?

Muitos tipos de câncer dependem do crescimento e da disseminação dos hormônios.

Essas células cancerosas têm receptores hormonais, os principais responsáveis ​​por atrair os hormônios que circulam no sangue e usá-los para induzir o crescimento celular.

x
x

A terapia hormonal pode funcionar de duas maneiras diferentes: Ao inibir a produção de hormônios, o objetivo é privar as células cancerosas dos hormônios necessários para o crescimento e a disseminação das células cancerosas;

Ao bloquear os receptores hormonais nas células cancerosas, é denominado bloqueio periférico.

Em ambos os casos, a taxa de proliferação celular e morte celular programada diminuirá, levando à remissão da doença.

Tipos de hormonioterapia

Existem 4 terapias hormonais mais comumente usadas no tratamento do câncer. Veja a explicação de cada um abaixo.

Cirurgia

A remoção cirúrgica das glândulas endócrinas (produtoras de hormônios) pode interromper o suprimento hormonal das células cancerosas.

Nas mulheres, a ovariectomia priva o corpo de hormônios.

hormonioterapia
hormonioterapia

Quando aplicado a mulheres na pré-menopausa com câncer de mama disseminado, pode aliviar 30% a 40% dos casos.

Nos homens, a remoção dos testículos também priva o corpo dos hormônios que produzem o câncer, e pelo menos 80% dos pacientes com câncer de próstata disseminado obtêm remissão.

Dose suprafisiológica

Pequenas doses de hormônios podem estimular o crescimento e a disseminação das células cancerosas, mas doses superfisiológicas (mais do que o corpo precisa) podem ter o efeito oposto.

Por exemplo, temos câncer de mama.

Tomar pequenas doses de estrogênio ou progesterona agravará essa condição, mas ao tomar doses superfisiológicas do mesmo hormônio, pode ser aliviado.

Inibidores enzimáticos

Algumas enzimas são essenciais para a produção de hormônios no corpo.

Ao inibir essas enzimas, é possível evitar que o corpo produza hormônios, bloqueando assim as células cancerosas relacionadas a esse fator de crescimento.

Por exemplo, temos a inibição da aromatase.

A aromatase é uma enzima essencial para a produção de estrogênio na menopausa.

Em pacientes com câncer de mama, a inibição da aromatase é usada como forma de tratamento.

Anti-hormônios

Os antagonistas hormonais são drogas que se ligam aos receptores hormonais nas células cancerosas para evitar que os hormônios se aproximem.

Podemos citar, por exemplo, o tamoxifeno, medicamento que bloqueia os receptores de estrogênio nas células do câncer de mama, e os antiandrógenos, que têm o mesmo efeito no câncer de próstata.

Efeitos colaterais da hormonioterapia

Em qualquer caso, a interferência na produção de hormônios trará alguns efeitos colaterais. Embora os efeitos mais comuns sejam simples e não causem riscos à saúde, existem alguns efeitos raros que não podem ser ignorados.

Efeitos colaterais da hormonioterapia em homens

A terapia hormonal para câncer de próstata pode ter os seguintes efeitos colaterais:

  • Diminuição ou ausência da libido

  • Impotência

  • Ondas de calor

  • Diminuição dos testículos e do pênis

  • Sensibilidade e crescimento do tecido mamário

  • Osteoporose

  • Anemia

  • Diminuição da agilidade mental

  • Perda de massa muscular

  • Ganho de peso

  • Fadiga

  • Aumento do colesterol

  • Depressão

Efeitos colaterais da hormonioterapia nas mulheres

Mulheres recebendo terapia hormonal para câncer de mama podem apresentar:

  • Fadiga

  • Ondas de calor

  • Secura vaginal

  • Mudanças de humor

  • Sudorese noturno

  • Náuseas

  • Formação de coágulos sanguíneos (trombose)

  • Aumento do risco de doenças cardiovasculares

  • Aumento do risco de câncer de útero quando a mulher já passou da menopausa

Siga sempre o conselho do seu médico e observe os sinais de efeitos colaterais. Apesar desses efeitos, a terapia hormonal ainda pode salvar vidas porque pode inibir efetivamente a produção de hormônios, inibindo assim o crescimento e a disseminação do câncer.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.