Exercícios físicos ajudam a reduzir a fome

Fazer exercícios traz uma vasta galeria de benefícios, já se sabe que este habito fortalece os músculos, melhora o funcionamento do coração, dos ossos e do pulmão. Além de ajudar a emagrecer.

Estudos mais recentes comprovam que malhar não só ajuda a emagrecer com o gasto calórico como retira a vontade de comer.

Impor alimentos aos filhos pode causar seletividade
Exercícios físicos ajudam a reduzir a fome

Gastar a gordura primeiro e estocar o carboidrato para usá-lo depois diminui a chance de os quilos perdidos voltarem e minimiza o risco das pessoas se empanturrarem de comida porque o cérebro passa a receber sinais de que o corpo está saciado

Paul MacLean, da American Journal of Physiology, do grupo americano da Universidade do Colorado, em Denver

A maioria das pessoas acredita que para emagrecer basta que as calorias consumidas sejam menores que as gastas. Mas na verdade o processo é maias complexo do que isso, os animais por exemplo os animais sabem quando se alimentar seguindo seu sinais biológicos, que causam o aumento ou a queda do apetite. Só que nos homens este sinal é fraco, os humanos são levados a se alimentar por questõe sambientais e spicossociais.

9 alimentos funcionais
Exercícios físicos ajudam a reduzir a fome

Durante uma dieta os sinais do organismo se tornam mais relevantes:

“Se traduzem em fome o tempo todo, levando a pessoa a querer comer mais do que o corpo precisa. Ficar com fome depois de um regime muito restritivo é um dos motivos pelos quais as pessoas voltam a engordar. Boa parte delas não consegue ignorar essa pressão psicológica e é “biologicamente” levada a se jogar na comida após ter sofrido muito para perder alguns quilos. Por isso, a maior parte das pessoas volta a ganhar peso depois de um regime pesado”

PAUL MACLEAN,

A maioria das pessoas que conseguem manter o peso após a dieta incluíram atividades físicas em seu dia a dia.

Mandando sinais

Quando o corpo se mantêm ativo em praticar exercícios, o cérebro recebe sinais do corpo para comer menos, o corpo passa a gastar mais calorias do que consome e isso leva o peso a cair.

A obesidade envolve um circuito de comportamentos ruins que resultam no processo: quanto mais se come mais se quer. Essa mania leva os hormônios a perder a capacidade de regular o apetite, causando uma dificuldade no processo de emagrecimento.

Nos animais obesos quando testados em uma atividade física intensa, os sinais voltaram ao normal no prazo de 12 a 16 horas.

Como ganhar músculos e massa magra – mais de 5 dicas
Exercícios físicos ajudam a reduzir a fome

Os hormônios são a chave para emagrecer

O corpo produz vários hormônios que ajudam a regular o apetite e a saciedade. Os mais importantes são a grelina, descoberta pelos japoneses em 1999, e o PYY (peptídeo YY), descoberto há cerca de 25 anos.

Quando o estômago está vazio, ele libera grelina. Ao estimular o centro da fome, ele envia um sinal claro ao corpo: é hora de comer. Quando passamos a comer um hormônio chamado PYY começa a agir, é ele que da, o alerta de saciedade para o cérebro.

Por isso para emagrecer é bom aprender a comer devagar.

Com a alimentação correta e muito exercício emagrecer não se torna um bicho de sete cabeças.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.