Doar rim é perigoso?

Os problemas de doação de rins ainda levam as pessoas a duvidar e temer as intervenções dos doadores.

No entanto, é muito importante que este procedimento seja seguro após todos os cuidados prévios terem sido tomados.

Doar rim é perigoso?
Doar rim é perigoso?

É seguro doar órgãos agora. Ao doar um rim, o organismo se adapta rapidamente à nova realidade. Isso significa que apenas um rim pode fazer isso e é inteiramente possível.

Quem pode ser doador?

Geralmente, qualquer adulto saudável pode se tornar um doador. O primeiro requisito é comprovar o desejo de doar órgãos de forma espontânea. Em seguida, é necessário comprovar a compatibilidade do sangue com o receptor por meio de análises.

Doar rim é perigoso?
Doar rim é perigoso?

A segunda etapa é uma avaliação clínica para avaliar se a função renal do doador está normal. Não há evidências de que haja risco de doença renal ou outros órgãos vitais.

Além disso, o doador precisa ser avaliado por psicólogo, e os profissionais vão apontar se o doador está preparado para esse tipo de cirurgia e as possíveis consequências da doação.

Como todo procedimento cirúrgico, o transplante envolve riscos e deve receber cuidados diários durante o resto da vida do doador e receptor do órgão.

Este procedimento não é recomendado mesmo para pessoas que não são 100% compatíveis, mas sofrem de doença mental, consumo excessivo de álcool, fumo, uso de drogas ou mesmo idosos, ou pessoas com câncer.

De acordo com a lei, parentes e cônjuges abaixo da quarta série podem ser doadores. Amigos e conhecidos só podem ser doadores autorizados pela justiça e devem provar sua ligação com o destinatário.

Quais são os riscos da cirurgia de doação renal?

A cirurgia do doador é muito cuidadosa. Sob anestesia geral, deve-se ter cuidado para proteger a saúde do doador. A cirurgia pode ser feita por meio de laparoscopia para evitar cicatrizes e reduzir o tempo de recuperação.

Como é a recuperação do doador após a cirurgia?

Nas primeiras 24 horas após a cirurgia, pode ocorrer dor. Mas com o remédio certo, isso logo será superado. No segundo dia de pós-operatório, o doador pode começar a andar e, após cerca de uma semana, a agulha será retirada.

Doar rim é perigoso?
Doar rim é perigoso?

Segundo os médicos, a alta hospitalar costuma ocorrer três dias após a operação. Cada operação envolve os riscos mais simples aos maiores de infecção, sangramento e complicações, mas geralmente não ocorrem.

Futuro com apenas um rim

Após a doação, o paciente com doador único de rim deve prestar mais atenção e buscar sempre uma vida saudável.

O médico informou que o doador deve verificar a função renal pelo menos uma vez por ano. Isso é feito por meio de exames de urina e sangue.

Além disso, para qualquer pessoa, é recomendável prestar atenção ao controle da pressão arterial e desenvolver um estilo de vida saudável.

Ele também alertou que, sempre que possível, o transplante com doador falecido deve ter prioridade para evitar riscos aos doadores vivos, mesmo que sejam pequenos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.