Ansiedade generalizada: O que fazer

A ansiedade é um dos problemas que mais afetam a qualidade de vida das pessoas hoje.

Mas como identificar seus sintomas?

Como você sabe se está sentindo ansiedade?

Nem sempre é fácil saber se você está se sentindo ansioso ou tem algo diferente.

Muitas pessoas pensam que estão tendo um ataque cardíaco ou mesmo um derrame durante um ataque de ansiedade.

O que são transtornos de ansiedade

A ansiedade é um sentimento relacionado à preocupação, tensão e medo intenso. Embora a ansiedade seja uma resposta natural do corpo, quando interfere em nossa vida diária, torna-se um obstáculo.

Na verdade, os transtornos de ansiedade são mais comuns do que você pensa.

ansiedade
ansiedade

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 264 milhões de pessoas em todo o mundo sofrem de algum tipo de transtorno de ansiedade.

No entanto, é normal que estejamos um pouco ansiosos em nosso dia a dia. correto?

Por exemplo, nada é mais normal do que ficar ansioso antes de um exame importante ou encontrar alguém que você nunca conheceu!

Deve-se entender que a principal diferença entre a ansiedade normal e a ansiedade é que esta última causa danos à vida do sofredor e daqueles ao seu redor (como o absenteísmo).

Embora existam muitos tipos diferentes de transtornos de ansiedade, um padrão pode ser encontrado neles.

Portanto, para lhe dar uma melhor compreensão, analisamos alguns dos sintomas de ansiedade mais comuns.

22 sintomas físicos e psicológicos do transtorno de ansiedade

A causa da ansiedade varia de pessoa para pessoa e essas nuances são verificadas após avaliação profissional. No entanto, existem alguns fatores que podem aliviar esta doença:

É necessário entender esses sintomas de ansiedade e, se eles começarem a atrapalhar o seu dia a dia, você deve procurar ajuda.

ansiedade generalizada
ansiedade generalizada

Respiração Ofegante

Falta de ar

Palpitações e dores no peito

Fala acelerada

Tremedeira no corpo e com vontade de roer as unhas

Pernas e braços agitados

Tensão muscular tonto

Náusea e vomito

Irritabilidade

Enxaqueca

Boca seca e sensibilidade na boca

Insônia

Se preocupe demais

Dificuldade de concentração

Tensão

Medo constante

Sensação que vai perder o controle ou que algo ruim está para acontecer

Mente desequilibrada

Braço dormente

Suor frio

Sentimento de que está sendo observado (despersonalização)

Aparente desconexão com a realidade

É importante entender que ansiedade não é algo tão ruim. Ou seja, uma pessoa pode se sentir ansiosa quando acha que existe um risco futuro ou uma ameaça. No entanto, o problema é quando você perde o controle e a duração desse sentimento bem como não ter o controle daquilo que é real.

O que causa ansiedade?

A causa da ansiedade nada mais é do que a resposta normal do corpo a eventos futuros.

Esta é uma adaptação evolutiva descoberta pelos humanos, que aumenta suas chances de sobrevivência.

Então, até certo ponto, um pouco de ansiedade pode até beneficiar as pessoas.

Por exemplo, a ansiedade sobre pontuações baixas em testes pode levar você a estudar melhor e se preparar para o dia do teste.

transtorno de ansiedade generalizada
transtorno de ansiedade generalizada

Além disso, considere as questões que podem surgir durante a sua viagem, por exemplo, para ajudá-lo a planejar melhor e aproveitar mais o momento.

No entanto, esse tipo de ansiedade “boa” é limitada.

Na verdade, muitas vezes existe apenas uma linha tênue entre esse transtorno e a ansiedade comum.

O sinal de alerta deve ser quando um pequeno evento diário causa ansiedade desproporcional.

É claro que isso é problemático.

A causa da ansiedade não é totalmente compreendida.

No entanto, há evidências científicas de que muitos fatores de risco podem desencadear transtornos de ansiedade. Entre eles:

Genes específicos relacionados à ansiedade (se parentes de primeiro grau têm uma determinada doença, a probabilidade de sofrer da mesma doença é muito maior)

Fatores ambientais (trabalho estressante, vida diária agitada)

Tipo de personalidade (algumas pessoas têm uma base para ansiedade, o que significa que sua própria personalidade as coloca em risco de despertar a doença)

Gênero e Sexo (as mulheres têm duas vezes mais probabilidade de sofrer de transtornos de ansiedade do que outras)

Trauma (eventos de alto impacto emocional, como abuso, são fatores de risco para transtornos de ansiedade)

Quais são os tipos de ansiedade?

Existem 5 tipos principais de ansiedade, são eles:

Transtorno de ansiedade generalizada

O Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG) é uma combinação de atenção excessiva e estresse repetido. Em outras palavras, a ansiedade começa a interferir na vida diária.

Transtorno do pânico

A síndrome do pânico é um transtorno de ansiedade. Nesse caso, a pessoa terá uma forte sensação de que está prestes a morrer e perder o controle. Além disso, mesmo que não haja sinais reais de perigo, essa sensação pode ser descrita como um ataque cardíaco.

Fobia social

A fobia social ou transtorno de ansiedade social é um dos tipos mais comuns e sempre acontece quando você está em público.

ansiedade generalizada
ansiedade generalizada

Além disso, existem outros tipos de fobias, como claustrofobia, fobia de espaço fechado, agorafobia, autismo em locais públicos, aracnofobia, aracnofobia, fobia densa, medo de buracos, também são esses transtornos de ansiedade.

No entanto, se referem a objetos, situações, e pessoas.

Transtorno obsessivo-compulsivo

O transtorno obsessivo-compulsivo ou TOC é uma doença mental. Nesse caso, é o medo de perder o controle ou ser responsável por coisas terríveis sobre você, ou outras pessoas, como a culpa. Além disso, é caracterizada por movimentos repetitivos e comportamentos compulsivos.

Transtorno de estresse pós-traumático

O transtorno de estresse pós-traumático ou PTSD é causado por trauma, ou eventos terríveis. Ou seja, a pessoa vivenciará momentos de confusão e medo, lembrando-se dos mesmos sentimentos que sentiu durante o evento.

O que é um ataque de ansiedade

O transtorno de ansiedade (ou transtorno de ansiedade) é uma exacerbação dos sintomas manifestados por alguns sinais e sintomas típicos.

Por exemplo, em uma crise de ansiedade, geralmente sentimos batimentos cardíacos acelerados, falta de ar e a sensação de que algo terrível está para acontecer. Outros sintomas são:

  • sensação de desmaio ou tontura
  • falta de ar
  • boca seca
  • suar frio
  • calafrios
  • preocupação excessiva
  • inquietude
  • angústia
  • medo
  • formigamento (sobretudo do braço e pescoço)

Normalmente, durante um ataque de ansiedade, as pessoas que estão sofrendo vão ao pronto-socorro porque pensam que estão à beira da morte.

Nestes casos, após o exame de ECG não notar nenhuma alteração, o médico confirmará que a dor é resultado de uma crise de ansiedade.

Existem testes que diagnosticam ansiedade?

Existem muitos testes comprovando cientificamente que podem diagnosticar a ansiedade. Mas acontece que existem tipos específicos de testes para cada doença.

Portanto, o diagnóstico deve ser sempre feito por um psiquiatra qualificado, que pode até fornecer medicamentos para transtornos de ansiedade, se necessário.

Portanto, se você sentir algum dos sintomas relatados neste artigo, procure ajuda de profissionais da área para esclarecer e ajudá-lo (lembre-se: a ansiedade pode ser curada).

Para entender melhor se você precisa de ajuda, preparamos um teste de ansiedade especial para você.

Como evitar a ansiedade?

Ter um estilo de vida saudável é uma ótima maneira de reduzir a ansiedade, assim como mudar hábitos diários.

É importante lembrar que a saúde humana consiste em uma série de pilares. Incluindo partes biológicas, psicológicas e sociais.

Portanto, fique atento a estas dicas que podem ajudá-lo a controlar e evitar a ansiedade:

Ir para a cama cedo

O sono insatisfatório pode ser o culpado da ansiedade. Em outras palavras, a falta de sono amplifica a resposta esperada do cérebro e aumenta o nível de ansiedade.

Utilize música para relaxar

Quando a gente fica estressado, nada melhor do que ouvir música para relaxar, não acha? Na verdade, pesquisas científicas mostram que a música aumenta a liberação de muitos neurotransmissores relacionados ao prazer. Em particular, ouvir sua voz favorita pode liberar dopamina, que é um neurotransmissor relacionado à sensação de recompensa.

Acorde 15 minutos mais cedo

Como a maioria das pessoas ansiosas, você pode correr pela manhã e gritar “Vamos nos atrasar!” Para todos ao seu redor. Portanto, vá devagar e tente se preparar para o dia claro que se aproxima. Porém, se você começar a se preocupar com a lista de afazeres, respire fundo e pense, ainda há muito tempo.

 Reduza cafeína, açúcar e alimentos processados

A cafeína e os níveis baixos de açúcar no sangue podem causar palpitações cardíacas. Além disso, esses alimentos podem ser prejudiciais à saúde e impedi-lo de controlar a ansiedade.

Faça atividades físicas

Como em qualquer outro tratamento, movimentar o corpo e usar a atividade física como hobby pode ajudá-lo a aumentar a produtividade e reduzir a ansiedade no dia a dia.

Não se cobre tanto

Uma das tarefas mais difíceis para um terapeuta é convencer uma pessoa ansiosa de que os sentimentos de culpa e vergonha não precisam dominá-lo. Além disso, você pode atrair mais pensamentos negativos, então concentre-se nas coisas boas da vida.

Procure ajuda

Ir a um especialista não o deixará doente, mas alguém que se preocupa e se preocupa com sua própria saúde emocional.

 Pratique meditação

Muitas pessoas adotaram a meditação ou a prática da atenção plena como um hábito saudável. Além disso, é uma forma eficaz de combater o estresse e a ansiedade.

Acompanhamento profissional

Em termos de redução da ansiedade e, em última análise, tratamento da ansiedade, a terapia, seja online ou pessoalmente com um psicólogo, é sua melhor aliada. Além disso, é a forma ideal de realizar as mudanças de vida de que você precisa.

Quais são os tratamentos mais comuns para ansiedade

Existem alguns métodos de tratamento da ansiedade, como a psicoterapia, e a combinação da psicoterapia com medicamentos específicos (como os ansiolíticos).

Portanto, para melhor elaborarmos as oportunidades de tratamento, vamos esclarecer alguns pontos sobre tratamento e medicamentos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.